Multi-éticas nas manifestações

Por Ricardo Valim

Dezembro de 2010 entrou para a história como o início das manifestações que derrubaram governos ditatoriais no mundo, mais especificamente no Oriente Médio.   Esta movimentação política e social, conhecida como “Primavera Árabe“, significou um florescimento de novos governos, que há décadas estavam congelados no inverno das ditaduras de seus antigos líderes.

the-arab-spring-part-seven-easternaffairs1

Manifestações em vários países levaram milhares de pessoas às ruas para lutarem contra regimes ditatoriais. No Egito, a ditadura estava há mais de 30 anos. Foto: Blog Redes Sociais, Comunicação e Tecnologias.

Já no Brasil, o mês de junho de 2013 se destacou como o mês das manifestações. A princípio tinha como único objetivo a crítica ao aumento das taxas do transporte público na cidade de São Paulo, depois tomou dimensões nacionais que compreendiam os problemas de cada região. O povo disse um sonoro “BASTA” a toda forma de injustiça social que assim compreendiam.

2013-623160442-2013-623045387-2013062045790.jpg_20130620.jpg_20130621

Aos milhares os brasileiros se reuniram nas ruas do país para lutar pelos seus direitos, defender a democracia e combater a corrupção.

Essas manifestações não só levaram o povo para as ruas, como também motivaram  o profundo descontentamento com a administração política atual. As ruas se transformaram em  palco para a busca de uma autêntica solução para os problemas sociais. No entanto, essas mesmas ruas se tornaram verdadeiros campos de batalha, onde pessoas praticaram atos de vandalismo contra o patrimônio público e contra a dignidade de outras pessoas.  Especialistas em questões de comportamento humano entenderam que a violência pode ser justificada como um fenômeno absolutamente compreensível.  Porque em situações entendidas como normais os indivíduos não produziriam violência. Opinião divergente de grupos que veem no vandalismo nada além de ser uma afronta e ao mesmo tempo um risco  a população indefesa.

mi_3624890908280710

As manifestações ficaram marcadas também pela violência.

Embora tenham ocorrido eventos ligados à desordem, muita coisa foi produzida de forma criativa e significativa como novas alternativas de crítica tendo como suporte as mídias digitais que inovaram, assim, as possibilidades de mobilizar grupos para a ação social.

Tais grupos, que estavam presentes nas manifestações de 2013, buscavam em suas reivindicações melhorar as condições sociais principalmente nos grandes centros urbanos. Suas atitudes e atuações demonstraram ter em essência uma ética particular, uma vontade própria de mudança. Não havia somente uma multiplicidade de grupos reivindicando seus direitos, mas também estava presente uma multi-ética, ou seja, uma multiplicidade de éticas.

A  respeito do conceito de Ética o Prof. Dr. Pe. Edelcio Ottaviani em entrevista ao Atitude da Hora comenta suas implicações para a sociedade. 

O fenômeno da multi-ética pode ser compreendido desde a ação de grupos referencias como o Mídia Ninja, que se torna uma importante ferramenta para as pessoas estarem conectadas aos principais acontecimentos do país, chegando a dar uma nova cara para o jornalismo. Ou como o Movimento Passe Livre, que convocou as  primeiras manifestações, e entende a Tarifa Zero como instrumento efetivo para garantir o pleno direito de ir e vir e assim. Esse movimento luta por um transporte urbano de melhor qualidade para toda a população.

 Esses grupos também criticavam tudo que prejudicava a população como um todo, não se centrando unicamente em questões particulares e nem se filiando a partidos políticos. O movimento dos surdos, que esteve nas manifestações, “teve como bandeira a educação bilíngue e o uso de legendas nas escolas”, disse Nisvaldo Santana, pós-graduando em Educação de Surdos do Instituto Uninter.

Com as manifestações, o país viu surgir uma nova forma de exercer a cidadania. A população se mobilizou para criticar os governos. O país parou com motivações a partir do povo, para o povo e pelo o povo – através das mídias sociais. Desde os grupos e valores demonstrados, novas possibilidades de  exercitar a ética surgiram e ainda surgirão em resposta a problemas sociais que certamente estão por vir. A sociedade é dinâmica e também o é  sua ética.

Matéria Principal: Midiativistas vão às ruas Continuidade da Matéria: Midiativismo: manifestação midiática de resistência

Foto Primavera Árabe: Blog Redes Sociais, Comunicação e Tecnologias.
Foto Manifestações no Brasil: Acervo O Globo.
Foto Vandalismo: IstoÉ.
Vídeo  Ética: Uma Breve Palavra sobre o Conceito de Ética:  Prof. Dr. Pe. Edelcio Ottaviani.
Anúncios
Esse post foi publicado em Política, Redes Sociais e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s